Caso Neymar: Najila Trindade é absolvida de fraude processual

Escrito por em 20/11/2020

A modelo Najila Trindade, que acusou Neymar de estupro há quase dois anos, foi absolvida do crime de fraude processual esta semana, de acordo com o Uol. Após o “Caso Neymar” ser arquivado em 2019, o Ministério Público decidiu denunciar Najila por, supostamente, ter atrapalhado as investigações da polícia dificultando o acesso dos investigadores a possíveis provas, além de forjar um arrombamento em seu próprio apartamento em São Paulo. 

Durante as investigações do caso contra Neymar, a modelo afirmou que seu apartamento foi roubado e que um tablet com imagens e vídeos que provariam a acusação contra o jogador do PSG teria sido roubado. O ex-marido de Najila, Estivens Alves, que teria ido ao imóvel filmar as condições da porta após o episódio, acabou sendo incluído na acusação do Ministério Público. 

Uma outra acusação elencada pela promotoria foi a de que Najila teria trocado senhas e apagados tais provas de um segundo tablet, que funcionaria que backup do primeiro aparelho. De acordo com a modelo, o tablet seria de seu filho pequeno. 

A sentença

Na sentença judicial, a juíza Ana Lucia Fernandes Queiroga entendeu que não houve crime nas ações da modelo nem nas de seu ex-marido. Estivens afirmou, na época, que foi ao apartamento da ex-mulher apanhar pertences da criança e da própria Najila, já que o local deixou de ser seguro mãe e filho.

“Não seria razoável supor que o acusado, com intuito de adulterar o local de um delito, filmasse o próprio crime que cometia, o que indica que de fato foi ao local apenas para pegar pertences da acusada Najila, que naquele momento não poderia permanecer em sua residência”, diz um trecho da sentença.

A magistrada também entendeu que a mudança de senhas do aparelho eletrônico configura mais um fato corriqueiro do que uma intenção de atrapalhar investigações. “A conduta, por si só, não configura uma inovação artificial com objetivo de induzir a erro perito ou juiz, mesmo porque, os réus não eram alvo da investigação que ocorria no inquérito policial naquele momento”, concluiu Ana Lucia. 

Entenda o caso

Najila Trindade registrou boletim de ocorrência acusando Neymar de estupro em maio de 2019, após os dois terem um encontro amoroso em Paris, na França. As investigações contra o jogador se estenderam até agosto do mesmo ano, quando a polícia civil arquivou o caso por falta de provas. 

Dias depois do arquivamento da acusação contra Neymar, a polícia anunciou o indiciamento de Najila por fraude processual, denunciação caluniosa e extorsão. E apesar do Ministério Público ter feito a denúncia por fraude processual e denunciação caluniosa, a Justiça acatou apenas a primeira denúncia. 


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



Música

No Ar

Artista

Background